terça-feira, 6 de maio de 2014

Distribuídos!

...
...

          Pela Páscoa de 2014, eles se apresentaram; primeiro, os 18 [que aguardavam desde o princípio]; após, os 14 [em que o aguardo se firmou por entre as árvores]; e por fim, os 4 [destes, 3 possuíam suas alturas, larguras e profundidades às claras, e o 4º, à parte!] ...

          ... Dele, a partir de 23 [seu dia] , as Luzes ... Infinitas ...
          ... Claras ... aos naturais da Forma, que ofuscavam a vista [pela ordem]!

...


          Vi que os 4 eram 4 colunas, num patamar de graus, que se apresentavam conforme a ordem, e sustentavam portas : cada um, seis portas, as quais olhei, e me foi impossível descrever seus princípios e fins ... apesar de sabê-los ...


          ... das primeiras 6 sequências .. e a simplicidade das suas luzes ;

          ... das segundas .. retraídas pelas Ordens do Tempo ;
          ... das terceiras .. as Formas do Tempo ;
          ... das quartas .. Seus Degraus ... 

...


          Neles, o Tempo Soprou e me levou à parte ...

          ... mostrou-me uma bifurcação na base do patamar, e outros degraus ...
          ... no primeiro, o Firmamento, a divisão das águas, e o que abaixo delas estava, estava; no segundo, uma divisão entre atos e palavras; no terceiro, quais aqui falo; no quarto, Formas; no quinto, Mistérios Revelados; no sexto, Outras Palavras; no sétimo, a Casa Dileta

...


          E então ... Luz sem fim! 

          ... Nela, seres me apartaram ... e instruíram em Uníssono : 'Cumprido Está! Eis aqui, os degraus do Nosso Livro, Nossa Forma, que carne alguma o saberá sem que O Revelemos!' ... e percebi a infinitude dos que acompanhavam os 4 [!] ...   

...

...